10 complicações de uma gravidez gemelar

by - maio 06, 2020

A notícia da gravidez gemelar é sempre um momento muito peculiar. Uns desmaiam, outros riem-se que nem perdidos e outros ficam apáticos. No meu caso, a notícia foi recebida com muitas gargalhadas e com o Rui a pensar que tinha de mudar de casa e de carro.

Mas também é recebida com muitas questões e medos. Ouvimos sempre falar de complicações de uma gravidez única então e quando são 2? Que complicações são mais comuns numa gravidez gemelar?


·      Parto prematuro

Esta é provavelmente das que nos assusta mais. Em 2018 nasceram 2771 gémeos em Portugal. A par disto, nasceram 6922 crianças prematuras. Os números têm vindo a descer, mas sabe-se que a causa mais frequente de um parto prematuro é a gravidez gemelar. O bebé prematuro pode classificar-se, segundo a idade gestacional, em: Pré-Termo Limiar (33-36 semanas e/ou tem um peso à nascençaentre 1500gr e 2500gr); Prematuro Moderado (28-32 semanas e/ou tem um peso ànascença entre 1000gr e 2500gr); Prematuro Extremo (antes das 28 semanas e/oupesa menos de 1000gr). Estima-se que a idade média de termo espontâneo das gestações gemelares naturais é às 35 a 37 semanas. 

·      Baixo peso ao nascer

Esta complicação por norma está relacionada com a prematuridade. No entanto considera-se baixo peso quando os bebés que nascem com menos de 2500gr.

·      Restrição de crescimento intrauterino

Este acontecimento ocorre mais frequentemente na gravidez gemelar monocoriónica, pois existe a partilha da placenta e basicamente são 2 bebés a competir por nutrientes.

·      Pré-eclampsia

A pré-eclampsia é uma das complicações mais frequentes na gravidez gemelar. É um conceito que está intimamente ligado com a hipertensão e pode provocar danos quer na mãe quer no bebé.

·      Diabetes Gestacional

Estudos indicam que na gravidez gemelar existe maior propensão à diabetes gestacional devido à placenta produzir certas hormonas. Digamos que é opinião geral: aquele teste é horrível! Beber aquele líquido em jejum, ser picada 3 vezes pela manhã não é agradável!

·      Descolamento da placenta

O descolamento da placenta é uma complicação que vamos ouvindo mesmo na gravidez de um único bebé. Existem estudos que indicam que numa gravidez gemelar, esse risco é 3 vezes maior.

·      Aborto/Morte Fetal

Bem, chegamos a um ponto delicado. Este fenómeno, infelizmente, acontece mais vezes do que esperamos. O meu médico chegou a partilhar comigo que, muitas vezes fazem ecografias muito cedo (por volta das 7 semanas) e posteriormente na ecografia do 1ºtrimestre existe apenas 1 bebé. Conheço quem passou por isto e 1 dia antes de completar as 12 semanas perdi sangue e morri de pânico. Segundo a Sociedade Portuguesa de Neonatologia,  gémeos monoamnióticos (1% das gestações gemelares) têm o maior risco de morte fetal (50-60%), devido principalmente ao risco dos cordões se entrelaçarem e sofrerem compressão(...). Tanto nas gestações mono como nas policoriónicas, a morte de um dos gémeos aumenta a probabilidade de se desencadear prematuramente o trabalho de parto. Podem consultar mais informação sobre prematuridade e gravidez gemelar em: www.spneonatologia.pt

·       Anemia

Comumente ouvimos que praticamente todas as grávidas tomam ferro. Muitas vezes por precaução e para garantir esse aporte quer à mãe quer ao bebé. Por outro lado, na gravidez gemelar, existe uma maior “exigência” na produção desses nutrientes pois são canalizados para 2 bebés.

·       Síndrome de Transfusão Fetal

O Síndrome deTransfusão feto-fetal está relacionado com a partilha da placenta, ou seja, um dos gémeos recebe mais sangue da placenta do que o outro. A Sociedade Portuguesa de Neonatologia diz-nos que “Esta complicação parece ocorrer em 5 a 25% das gestações bigemelares monocoriónicas (particularmente nas biamnióticas), em qualquer altura da gestação. O risco de morte na transfusão feto-fetal grave pode chegar a 80%”.

·       Cesariana

Não consideraria como uma complicação mas a verdade é que muitas vezes na gravidez gemelar acontece. O parto natural depende de alguns factores como por exemplo: a posição dos 2 fetos e não haver indícios de sofrimento fetal.


Gostava só de deixar aqui um pequeno testemunho sobre uma das complicações que sofri que foi hipertiroidismo. Durante a gravidez, vomitei muito, perdi cerca de 6kg quando se descobriu que eu tinha desenvolvido doença da tiróide. Explicaram-me que os níveis de Beta-hCG, quando demasiado altos podem estimular a tiróide e poder desenvolver hipertireoidismo.

O nosso corpo sofre demasiadas mudanças. Estas complicações acontecem de facto. Falando por experiência própria, desde a anemia, ao descolamento da placenta e parto prematuro foi tudo difícil de gerir. Ainda bem que permanecemos informados e de certa forma preparados para o que nos pode acontecer.

You May Also Like

0 comentários